quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Lembranças

Apenas um retrato velho.
A imagem já disforme e amarelada
E moldura enferrujada,
No meio das muambas esquecidas.

Teu rosto não me remete à nenhum afeto
Somente mágoa escorre pelo meu rosto
E os meus olhos so veem sobra em tua face
Ah! Como tudo em ti é fosco.

Um estranho que aparece repentinamente
Será que minha casa está em sua rota de destino?
Mas logo se vai, distante...
Sem deixar rastros, somente marcas pronfundas

Onde será este lugar?
É tão longe, acho que não existe
Tudo feito de papel (neste mundo meu só)
Rabiscados por autores sem nome

Apenas de uma certeza me cerco
De pura mentira tu és feito
Se é que existe tua vida
Se é que a vida exista.

Um comentário:

Kiro Menezes disse...

Pagina amarela, saudade! Encantos de mil vidas, retrato de poesia, fascinação de face escura...



Encantei-me de tuas falas!!!